Alexandre Antunes

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2023

MARCAS

BANDA(S)

  • Anselmo Ralph

  • Bárbara Bandeira

BIOGRAFIA

Alexandre Antunes nascido a 11 de Julho de 1998, começou a tocar bateria com apenas 3 anos, onde deu os primeiros passos sobre a orientação do seu Pai, Carlos Miguel Antunes, um músico que dispensa apresentações, baterista de Rui Veloso, Luísa Sobral, MARO, entre muitos outros.

Mais tarde, Alexandre teve aulas com alguns dos maiores nomes deste instrumento no nosso País, como André Silva, Miguel Casais e Vicky Marques.

Estudou jazz e Música Moderna na escola JbJazz de Lisboa onde teve a orientação de professores de excelência como Luis Candeias, Ricardo Barriga e Manuela Oliveira.

É musico profissional desde 2016 e desde então acompanhou Artistas como Anselmo Ralph , Bárbara Bandeira, Rui Veloso, Boss AC, Bispo, Blaya, Soraia Ramos, João Gil, Carlão, April Ivy, Berg, César Mourão.

Sérgio Nascimento

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2023

MARCAS

BANDA(S)

  • Peste & Sida

  • Despe e Siga

  • Sérgio Godinho

  • David Fonseca

  • Humanos

BIOGRAFIA

Sérgio Nascimento, nasceu em Luanda, em 1972. Músico e produtor musical, estreou-se como baterista no início dos anos 1990, enquanto frequentava o curso da escola de Jazz do Hot Clube de Portugal.

A sua primeira gravação foi uma versão de "O Homem da Gaita", de José Afonso, para a compilação Filhos da Madrugada, com os Peste & Sida, em 1994.
Forma os Despe e Siga em 1995, com quem lança três discos, o homónimo, Primos e 99.9. Entre 1996 e 1999 participa em gravações e concertos dos projetos Ithaka e ColdFinger.
Em 2000 é convidado para integrar a banda de Sérgio Godinho, os Assessores, com a qual grava vários discos de estúdio e ao vivo. Acompanha-o desde então.

David Fonseca surge na sua vida em 2003, e com ele grava vários discos até a atualidade, como Dreams in Colour, Seasons ou Futuro Eu, acompanhando-o nas suas digressões nacionais e internacionais.
Em 2004 cria os Humanos, projeto de originais de António Variações. Participa no disco de estreia de Dead Combo, Vol1 e mais tarde em Quando a Alma Não é Pequena. Grava Apontamento, de Margarida Pinto.
Participa na conceção do álbum de estreia de Rita Redshoes, Golden Era, grava Chão, de Mafalda Veiga, e Aprendizagem de Margarida Pinto, em 2008.

Em 2011 desenvolve o projeto They’re Heading West com quem grava o álbum homónimo, toca e promove encontros com mais de 50 nomes da música nacional, ao vivo. Integra os Deolinda, com quem grava Mundo Pequenino e Outras Histórias e toca ao vivo até 2018.
Em 2013 participa no álbum Casulo de Márcia e mais tarde em Picos e Vales, da mesma autora.
Participa no projeto a solo de Catarina Falcão, Monday, com a gravação de One, em 2018.
Em 2019 produz Animal de Estimação de Catarina Munhá e Desalmadamente, de Lena d´Água, em parceria com Francisca Cortesão, Mariana Ricardo e Benjamim, assumindo também a direção artística deste último.

Faz produção musical e executiva do projeto 08/80, editado em 2020.
Grava MOTOR, da banda com o mesmo nome, em 2023.

Vive e trabalha em Lisboa.

Carlos Miguel

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2023

MARCAS

BANDA(S)

  • Maro

  • Rui Veloso

  • Luisa Sobral

  • Ana Moura

BIOGRAFIA

Carlos Miguel nascido a 12 de Maio de 1971 em Lisboa, começou os estudos de musica em 1989 no Hot Club de Portugal onde estudou com André S Machado, Mário Delgado, Pedro Madaleno, Sérgio Pelágio.

Frequentou vários workshops com Karl Berger, Don Famularo, Sonny Emory, Greg Bissonete entre outros.
É musico profissional desde 1991 e desde então acompanhou artistas como Rui Veloso, Luisa Sobral, Ana Moura, Maro, Dulce Pontes, Áurea, Sara Tavares, Jorge Palma, Mafalda Veiga, Luís Represas, Paulo de Carvalho, Carlos do Carmo, Joel Xavier, Kepa Junkero, Carlos Nunez, Pedro Abrunhosa, Sérgio Godinho, Rui Reininho, João Gil, Mariza, Tito Paris, Nuno Guerreiro, Dani Silva, Joana Rios, André Sardet, Filipa Pais, Vanessa da Mata, Gilberto Gil, Ed Motta entre outros.

Na área do Jazz já se apresentou nos Festivais de Jazz de Matosinhos, Lagoa, Portimão, Portalegre, Tondela, Seixal, Sines, Caldas da Rainha, Festa do Jazz S.Luis, Curitiba(Brasil), Madrid, Valladolid, Vilnius, Rabat (Marrocos), Barcelona, Madrid, Vigo, Cartagena, Luanda, onde tocou com “Ficções”, “Politonia”, “Melissa Walker”, “Laura Fiugi”, “Septeto do Hot Club”, “Jeffery Davies”, “Maria João e Mario Laginha + Big Band do Hot Club”, ” Rodrigo Gonçalves+Jesus Santandreu”, “Laurent Filipe Big Band”, ”Nana Sousa Dias”, ”António Palma”, “Tim Tim por Timtum”, ”Aduf de Zé Salgueiro e Zé Peixoto”, ”Alexandre Dinis Quarteto”, ” Filipe Raposo Trio”, ” Yuri Daniel Band”, “Orquestra Metropolitana de Lisboa” e ” Orquestra Clássica da Madeira”.

É também professor da escola JBjazz em Lisboa desde a sua fundação em 2003 e  já lecionou em escolas como Academia de Amadores de Musica, Escola de Jazz
de Torres Vedras, Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa, entre outras.

Formou juntamente com Ruben Alves e Miguel Amado o Trio “KOLME” editando o primeiro disco Vol I em 2012, Vol II em 2016 e por fim Vol III em 2022.

Vicky Marques

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2023

MARCAS

BANDA(S)

  • Cuca Roseta

  • Aurea

  • Dino D’Santiago

  • Ana Moura

  • Carminho

  • Marco Paulo

  • Mariza

  • Carlos do Carmo
  • Paulo Gonzo

BIOGRAFIA

Hugo “Vicky” Marques é um Baterista/Percussionista Português, nascido em Lisboa.

Criou a sua primeira bateria improvisada com objectos domésticos aos 8 anos e começou a ter aulas de bateria aos 12 com o professor Francisco Furtado, na escola de música Top-Music, em Cascais.
Aos 14 anos fez a sua primeira actuação em público no Teatro Gil Vicente, em Cascais.
Ingressou depois na primeira banda, Alla Breve, começando a tocar profissionalmente em bailes e festas um pouco por todo o país.
Dois anos mais tarde conheceu o músico Miguel Teixeira (multi-instrumentista no grupo Sétima Legião) com o qual teve várias bandas, tanto de originais como de covers.
Foi no circuito de bares, aos 17 anos, com a banda SG's (uma das principais bandas desse circuito nos anos 90, em Lisboa) que iniciou os seus contactos com artistas pop como Adelaide Ferreira e depois (por intermédio do guitarrista Luís Fernando) com Paulo Gonzo, artista com quem tocou durante cerca de 5 anos em várias Tours, e com quem gravou em 4 álbuns, um deles ao vivo.

Teve aulas com Francisco Furtado, Manuel Costa Reis, Bruno Pedroso, Alex Frazão e Michael Lauren.
Frequentou vários Workshops e MasterClass em Portugal e no estrangeiro, entre os quais uma semana com o lendário baterista Billy Cobham, em Bath, Inglaterra.

Em 2008 gravou o seu DVD tutorial “Vicky – Elementos”, da edição Séries de Música da Dread Monkey, que saiu para o mercado em 2010 no qual fala sobre os seus conceitos e a sua abordagem pessoal à Bateria e Percussão, e sobre o qual deu vários Workshops.

Em 2011 criou o concerto “Estou de Viagem”, em parceria com Carmo Stichini, um concerto de Bateria/Percussão e SpokenWord, baseado em histórias de viagens, apresentado no Teatro São Jorge.

Tem lecionado em Escolas de Música, Workshops, MasterClass e em aulas privadas desde os 20 anos.

Tem tocado e gravado em variados estilos musicais desde o Pop, Rock, Jazz, Música Improvisada, Música Popular e Alternativa, ao Fado, fazendo participações ao Vivo e/ou em Estúdio com:
Paulo Gonzo, Paulo de Carvalho, Pedro Joia, Ney Matogrosso, John Stubblefield, Ivan Lins, Greeg Kofi Brown, Janita Salomé, Alexandre Manaia Trio, Armindo Neves, Luíz Arantes, Ricardo Pinheiro, Luís Moreno, Miguel Amado Group, Yami Aloelela, Mafalda Veiga, Nuno Allan quinteto, Vânia Fernandes, Rita Guerra, Anabela Pires, Martim Vicente, Gil do Carmo, João Pedro Pais, Tim Tim por Tim Tum (Drum Ensamble com José Salgueiro, Alexandre Frazão e Marco Franco), “O ó Que Som Tem?” (Percussion ensamble liderado por Rui Junior/TocaRufar), Yuri Daniel Band, “Underpressure” (do guitarrista Pedro Madaleno), Filipe Raposo Trio, Gota, D Season, Tiago Machado, José Peixoto & Carlos Zíngaro, Maria João & Mário Laginha, José Manuel Neto, Pedro Viana, Matt Geraghty, Yellow Dog Conspiracy, Marco Paulo, Ana Moura, Carminho, Sara Correia, Ricardo Ribeiro, Jorge Fernando, Fábia Rebordão, Dino D’Santiago, Cuca Roseta, Aurea, Carlos do Carmo, para mencionar alguns.

Entre 2012 e final de 2019 tocou com Mariza, num kit híbrido de Bateria/Percussão, com quem para além de ter tocado nos dvd's “Concerto em Lisboa” (2005), “Terra em Concerto” (2008), e no single “É Ou Não É”, fez concertos em várias Tours mundiais em salas como: Carnegie Hall NY, Town Hall NY, Walt Disney Concert Hall LA, Chicago Symphony Center, Seattle Symphony Hall, Massey Hall Toronto, Sidney Opera House, Royal Festival Hall Londres, Barbican Londres, Carré Amsterdam, Cairo Opera House, Palau De La Música Barcelona, entre muitas outras.

Em Outubro de 2019 lança o seu primeiro álbum a solo, “Resiliência(s)”, em Novembro de 2022 editou o segundo “Sonhos e Outras Viagens”, com composições suas, que marca o início de um projeto de realização pessoal.

Synthetique Anarchicks

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2022

MARCAS

BANDA(S)

  • Anarchicks

BIOGRAFIA

Helena Sequeira iniciou o seu percurso musical bastante jovem, aprendendo piano clássico na Escola de Musica Leal da Câmara (atual Conservatório de Música de Sintra).
 
Durante toda a sua adolescência participou em diversos projectos musicais (Mystica, Mediatic Slaves, Les Baton Rouge) e mais tarde, em 2011 fundou a banda feminina de  punk rock Anarchicks, onde toca baixo e sintetizadores.
 
No entanto, apesar da música ter sempre representado um papel importante na sua vida, é apaixonada por ciências, tirou curso de medicina veterinária e exerce clínica de pequenos animais.
 
As Anarchicks tocaram por todo o Portugal e estrangeiro, tendo participado em eventos marcantes como o palco principal do festival Super Bock Super Rock em 2013, partilhando palco com Johnny Marr e Arctic Monkeys. Foram convidadas por Peaches para tocar num festival na Normandia da sua curadoria, em Paris no La Machine du Moulin Rouge e na Alemanha, no Theater der Welt, e em diversos festivais espanhóis, como o PortAmérica.
 
Participou e colaborou com vários artistas nacionais, entre eles João Morais “ O Gajo”, e mais recentemente com Corte Real.
 
Em 2023 a banda está a terminar novas canções e espera-se um novo ep, com a produção de Thomas Attar Bellier (AlQasar).

Vini Baschera

ENDORSER DESDE

  • 2022

MARCAS

BANDA(S)

  • Ana Moura
  • Calema
  • Diogo Piçarra
  • Nuno Ribeiro
  • Mickael
  • Tony Carreira
  • Fernando Daniel
  • Anselmo Ralph

BIOGRAFIA

Desde cedo Vini Baschera foi cativado pela música. Filho de pai músico, sempre teve o incentivo para
estudar e praticar o instrumento. O primeiro contato com a música foi com o violão – seu primeiro
instrumento musical - em seguida, aprendeu acordeão e piano. Sempre tocou bateria, e quando decidiu
entrar para a faculdade, escolheu a percussão sinfônica, onde estudou caixa-clara, marimba, vibrafone,
tímpanos e percussão múltipla.


Bacharel em Percussão Erudita pela Universidade de Passo Fundo/RS, realizou seu concerto de formatura
em 2009 e em 2011 seu trabalho de pesquisa sobre como a bateria ingressou na música regional do Rio
Grande do Sul. Durante sua formação realizou diversos recitais de percussão com obras de grandes
nomes da percussão mundial, como: Keiko Abe, Nebozja Zivkovic, Ney Rosauro, Dave Samuels,
Emmanuel Sejourné, Eliot Carter, Sigfried Fink, dentre outros.


No Estado do Rio Grande Sul gravou em estúdio, fez parte de grupos de música regional durante sua
formação, e também da banda de Hardcore Jimmy Dog, com a qual realizou diversos concertos em
festivais de rock na região sul e sudeste do Brasil, além de um lançamento de clipe no canal de televisão
MTV.


Concorreu a dois Prêmios “Açorianos de Música" - prêmio de maior importância da música do Rio Grande
do Sul, que acontece no Teatro São Pedro, com os discos Menino e Rain - do guitarrista Tiago de Moura.
Durante o ano de 2013 residiu em São Paulo/SP onde compôs o trio instrumental VETrio, juntamente com
o guitarrista Tiago de Moura e o baixista Everton Rosa, com o qual gravaram um vídeo documentário de
grande repercussão no fusion instrumental, chamado “VETrio Ao Vivo e Sem Cortes”, captado ao vivo no
Estúdio500. Neste mesmo ano idealizou e lançou seu primeiro DVD independente “first Drum Lesson”,
para a divulgação do seu trabalho nas redes sociais.


Em 2014 mudou-se para Portugal para avançar seus estudos na área acadêmica e em 2016 concluiu seu
mestrado em Interpretação Artística/Jazz, sob orientação do professor americano Michael Lauren. Neste
tempo de especialização na ESMAE (Escola Superior de Artes Música e Espetáculo), na cidade do
Porto/Portugal, participou de vários concertos como baterista da Big Band Esmae e foi chamado para
representar as escolas do norte do país no ciclo Histórias de Jazz em Portugal na cidade de Guimarães/PT,
concluiu seus estudos com média de 18 valores, pesquisou e escreveu sua tese sobre a técnica “Ação e
Reação” – concebida pelo baterista brasileiro Kiko Freitas.


Em 2017 entrou em tour como artista pop português David Carreira onde permaneceu por 5 anos, tendo
tocado espetáculos frequentemente no território Nacional, bem como noutros países da Europa
Em 2022 lançou seu primeiro EP autoral em DUO com o acordeonista João Barradas - intitulado Daily
Commute - Um duo exótico e inovador até então formado unicamente por bateria acústica e acordeão
midi.


No mesmo ano foi convidado para acompanhar o Grupo Lisbon Underground Music Ensemble (L.U.M.E.)
tendo tocado em importantes festivais de jazz tais como: Jazz Sous Les Pommiers (FR), Novara Jazz (IT),
Jazzfestival Saalfelden (AU).


Já acompanhou grandes nomes do mainstream português como: Ana Moura, Calema, Diogo Piçarra,
Nuno Ribeiro, Mickael, Tony Carreira, Fernando Daniel and Anselmo Ralph.

Eugénia Contente

 
 

ENDORSER DESDE

  • 2021

MARCAS

BANDA(S)

  • Ana Bacalhau

  • Bispo

  • Ivandro

  • Carla Prata

  • Matay

  • Nico Drums & Blues

  • Mila Dores

  • Fábia Maia

  • Diana Lima

  • Soluna

  • Leo Middea

  • Ivan Beck

  • Jennifer Dias

  • Monaxi

  • Malabá

  • Safarah

  • Soundbox

  • Crunchy

  • Sooky Sooky

  • Mário Monteiro

  • Jacarés

  • Wildy

  • Flapi

BIOGRAFIA

Nascida em 1992, em Ponta Delgada (Açores), Eugénia Contente tem o seu primeiro contacto com a guitarra aos 9 anos.

Em 2010, parte para Lisboa, onde tira o mestrado em arquitectura, na FAUL. Neste período, teve aulas com o guitarrista Miguel Mascarenhas, por 6 meses.

Em 2011, participa no Workshop de Voz e Orquestra, que aconteceu no Teatro Micaelense, organizado pelo Hot Clube de Portugal. É aqui que cimenta a certeza de querer explorar mais o universo jazzístico e que define como objectivo a inscrição na escola do HCP.

Depois de muito esforço para conseguir conciliar o que queria realmente fazer com o curso que estava a tirar, este objectivo só vem a ser alcançado em 2017, em paralelo com um estágio numa empresa de arquitectura.

2018 foi um ano de viragem, que chegou com uma residência semanal no Tokyo Lisboa, com a banda Safarah. Um gig e uma escola que lhe abriu muitas portas para outros projectos e que lhe permitiu, finalmente, viver da música a tempo inteiro.

Desde então, tocou com artistas como Ana Bacalhau, Bispo, Ivandro, Carla Prata, Matay, Soluna, Leo Middea, Ivan Beck, Jennifer Dias, Monaxi, Malabá…

Em 2022, estreia-se no teatro, na adaptação do filme de Fellini “Ensaio de Orquestra”, a acompanhar a Orquestra do Hot Clube de Portugal, encenada por Tonan Quito, com música de Filipe Melo, com apresentação no CCB.

Ainda no mesmo ano, grava os álbuns de Nico Drums & Blues, Mila Dores, Fábia Maia e do seu projecto, Eugénia Contente Trio. Este último, produzido por Budda Guedes, junta os músicos Gabriel Salles Silva (baixo) e Luís Delgado (bateria).

Eugénia Contente Trio resulta da expressão das influências do funk, jazz e fusão, partilhadas pelos elementos da banda, proveniente de uma vontade de tocar música original e instrumental.