Caio Oliveira

ENDORSER DESDE

  • 2017

MARCAS

BANDA(S)

  • Independente

BIOGRAFIA

Nasci em São paulo, Brazil em 11/11/74 e comecei a estudar música aos 16 anos com um professor da faculdade de música popular brasileira da UNiCAMP. Aos 18 anos mudei-me para Portugal, mais concretamente Lisboa, onde continuei meus estudos no Hot Club de Portugal e toquei com vários artistas e bandas, como Fúria do Açúcar. Mais tarde na  Madeira, tirei um curso complementar de música brasileira com o professor Alexandre Reis.

Ingressei no conservatório de música da Madeira e estudei 4 anos no curso de Jazz do Hot Club de Portugal .

Tenho o privilégio de tocar com músicos fantásticos como Pedro Moreira, João Moreira, Bernardo Moreira, Bruno Santos, Ricardo Toscano, Nelson Cascais, Óscar Graça , Jefrey Davis, Klaus Nymark, André Fernandes, Júlio Resende, Wilson Correia, João Freitas, Luis Figueiredo, João Mortágua, Nuno Ferreira, Vânia Fernandes, André Santos, Graciano Caldeira, Ricardo Pinheiro, Titov, Décio, etc..

Frequentei vários Workshops, como: Old Thalmor, Mário Laginha, Pedro Moreira, David Binney, Dan Weiss, etc... 

Sou baterista e líder de várias formações: domingos de Jazz no Cliff Bay , quartas Cliff Bay, quintas no Vila Galé, Casino da Madeira, entre outras. Sou baterista residente do Scat Jazz Club.

Dou aulas privadas de bateria e percussão.

Acompanho todos os artistas que vêm à Madeira, desde músicos de jazz, como atrizes cantoras como a Valéria Carvalho, Marta Fernandes, etc...

Tenho a minha formação de jazz em Lisboa "Caio Oliveira Quarteto", com Bruno Santos na guitarra, Ricardo Toscano no Sax alto e Romeu Tristão contrabaixo. Tenho um duo chamado "Maracujazz " com André Santos na Guitarra. Sou baterista e percussionista do projeto "Fado das Quinas". Sou músico de estúdio, já tendo gravado para a Sony e a Polygram.

II Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior começa dia 8 de Abril

A aguardada segunda edição do Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior vai ter início já no próximo dia 8 de Abril na Covilhã.

Com um número de inscrições superior às expectativas, está garantida uma participação elevada que se espera de alto nível.

Como na edição anterior, o concurso conta com o forte apoio Road Crew através das marcas Majestic Percussion, Zildjian, Remo e Hercules.

Pedro Martins

BIOGRAFIA

Pedro Martins, nascido em Maio de 1975 na cidade do Porto.

É músico baterista desde 1991. Forma-se na Academia de Música de Espinho e na Escola de Jazz do Porto em 1996.

1993 a 1998 – W.C.Noise é a banda onde se estreia e com a qual grava dois discos, adquirindo assim as primeiras experiências, quer ao vivo, quer em estúdio, bem como, nas primeiras digressões pela Europa.

1996 a 1998 – TurboJunkie, banda com a qual gravou o disco "Junkie Radio Sessions", ao vivo, no Auditório da Antena 3.

1997 – Ainda com os TurboJunkie participa, pela primeira vez, em todos os Festivais de Verão do país, numa digressão com 130 concertos recheada de público e bons momentos.

1998 - Gravação do disco “Amanhecer”, de Diana Bastos (voz) e Pedro Abrunhosa (autor); trabalho este, que integrou a banda sonora do festival dos 100 dias (100 concertos em 100 dias) , espetáculo intitulado de “Rapaz de Papel”, integrado na Expo 98.

2000 a 2002 – Entra na banda de Raúl Marques & Os Amigos da Salsa, adquirindo assim um novo leque de competências, na companhia de grandes músicos, num estilo musical peculiar e usualmente apetecível para bateristas.

2001 a 2006 - GNR. Foram cerca de 5 anos, dos quais, estiveram presentes alguns dos grandes momentos da banda como o Festival Rock In Rio Lisboa 2006 e os concertos comemorativos dos 25 anos de carreira, nos coliseus do Porto e Lisboa.

2006 - Gravação do disco de Pedro Khima, seguido de uma digressão com cerca de 170 concertos.
- No mesmo ano, junta-se a Pedro Abrunhosa & Bandemónio para gravar o disco “Luz”; desde então, transitou dos Bandemónio para os Comité Caviar onde gravou também os discos “Longe” e “Contramão”, concretizando centenas de concertos, mantendo-se assim, até à actualidade.

2013 - Vencedor do Roland V-Drums Iberian Contest, assumindo a posição de demonstrador da marca Roland na Península Ibérica durante dois anos, com a honra, de ter participado em vários Drum Camps com bateristas como Michael Schack, Tommy Snyder e Thommas Lang.

2017 - Torna-se um Endorser Remo.

Outras bandas com quem toca ao vivo actualmente: Munchies, Plaza, Hungerdogs, The Gift (esporadicamente).

Discografia

• 2014 - Alberto Indio - Aqui mando eu
• 2014 - Plaza - All Together
• 2013 - Pedro Abrunhosa e os Comité Caviar – Contramão
• 2011 – Pedro Abrunhosa e os comité Caviar – DVD Coliseus
• 2011 - Meu General - Primeiras Impressões
• 2010 - Pedro Abrunhosa e os Comité Caviar – Longe
• 2008 - Pedro Khima – Pedaços
• 2007 - Pedro Abrunhosa e os Bandemónio – Luz
• 2006 - Alberto Indio – Sinceramente
• 2005 - Plaza - Meeting Point
• 2004 - Pedro Khima - Pedro Khima
• 1998 - Diana Bastos – Amanhecer
• 1997 - Turbojunkie - Live Radio Sessions
• 1996 - Turbojunkie – Used
• 1996 - All Star Band- República das Bananas
• 1995 - WC Noise - Reality Asylum
• 1994 - WC Noise - Loud & Mad

Espetáculos mais marcantes destes últimos anos:

2016 - Pedro Abrunhosa no Porto – Passagem de Ano nos Aliados
2016 - Pedro Abrunhosa em Earlscourt Park - Toronto, Canada
2015 - Pedro Abrunhosa em Boston Berklee Perfomance Center, USA
2015 - Pedro Abrunhosa no Olimpya - Paris, França
2015 - Pedro Abrunhosa no Rockhal - Luxemburgo
2014 - Pedro Abrunhosa em Macau
2010 - Pedro Abrunhosa no MIT - Maputo, Moçambique
2010 - Pedro Abrunhosa no LAC - Luanda, Angola.
2010 - Pedro Abrunhosa no Cineteatro de Porto Alegre – Brasil
2010 - Pedro Abrunhosa nos Jardins de Garcia - Barcelona, Espanha

II Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior – Inscrições até dia 28 de Fevereiro

A segunda edição do Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior terá lugar na cidade da Covilhã, Portugal, de 8 a 12 de Abril de 2017, e é uma organização da Associação Cultural da Beira Interior com apoio da Câmara Municipal da Covilhã e da Universidade da Beira Interior. O concurso está aberto a todos os percussionistas, de qualquer nacionalidade.

Este ano conta mais uma vez com o forte apoio Road Crew através das marcas Majestic Percussion, Zildjian, Remo e Hercules.

As inscrições estão abertas até ao dia 28 de Fevereiro. O regulamento e ficha de inscrição estão disponíveis no site da Associação Cultural da Beira Interior: www.acbi.pt.

Ricardo Soares

ENDORSER DESDE

  • 2007

MARCAS

BANDA(S)

Danilo Warick

BIOGRAFIA

Foi em 1993, tinha eu 12 anos, quando me apaixonei pela bateria. Foi amor a 1ª vista numa loja de instrumentos usados em São Paulo.
Porém foram precisos 2 anos para que eu conseguisse convencer os meus pais a deixar entrar uma “coisa daquelas” tão grande e barulhenta dentro de um apartamento onde os vizinhos reclamavam até mesmo do barulho da talevisão!

Enfim, mil e uma técnicas foram utilizadas para melhor abafar o som da nova hóspede e a partir daí, em 1995, e até hoje nunca mais larguei este vício!

Foram inúmeras bandas de originais e covers, centenas de concertos dados em vários países pelo mundo, desde grandes auditórios e festivais ao buraco mais feio e sujo, e 6 álbuns gravados até a data.

Destacam-se os projectos de maior duração: Easyway, Custom Circus (Custom Café), L’Aventure, Monstro e Sacred Sin.

Com Easyway, gravamos 3 álbuns, fizemos inúmeras tours dentro e fora de Portugal e tocámos nas salas e festivais mais emblemáticos do país.

Com o Custom Circus gravei 2 álbuns e ajudei nos arranjos das músicas. Fiz parte de 4 musicais desta companhia de teatro entre 2005 e 2014.

Com os Sacred Sin, em 2000, gravei um álbum e fiz várias tours pela Europa.

L’Aventure e Monstro são projectos novos, ambos em processo de promoção do 1º álbum. Vale a pena ver e ouvir!

Guardo comigo uma frase dita no filme “Whiplash” no qual me identifico bastante:

- Um músico nunca se aposenta.

E assim será...

Wilson Silva

ARTISTA INTERNACIONAL ZILDJIAN

ENDORSER DESDE

  • 2010

MARCAS

BANDA(S)

  • More Than A Thousand
  • União das Tribos

BIOGRAFIA

Wilson Silva teve o seu primeiro par de baquetas quando tinha 8 anos, a sua paixão pela bateria começou quando os seus pais lhe compraram a sua primeira bateria de brinquedo. Foi auto-didacta: tocando a ouvir discos de bandas como Queen, Slipknot e Nirvana. A sua versatilidade permite-lhe mudar de rock/heavy para pop com intensidade, um groove profundo e a sensibilidade e tato de um compositor. O seu estilo é influenciado por grandes bateristas tais como John Otto, Roger Taylor, Joey Jordisson e Dave Grohl.

Nascido em Lisboa, foi onde teve o seu inicio na cena musical, começou a atuar publicamente aos 11 anos, tocando em várias bandas locais até ter encontrado uma casa permanente na banda More Than a Thousand. O último álbum “Lost at Home” foi gravado nos E.U.A. e assinado pela editora major, Good Fight, Entertainment One.

Viajou para mais de 18 países, fazendo mais de 1200 espetáculos e teve o prazer de partilhar palcos com um número de artistas importantes tais como Metallica, Papa Roach, Stone Sour, Ill Niño, Parkway Drive, Mastodon, Megadeth, Kreator e uma tour de suporte com os 30 Seconds to Mars.

Quando não está em tourné pelo mundo, Wilson tem uma agenda bastante restrita e ocupada. Tem o seu próprio estúdio de gravação, trabalha como compositor, produtor e engenheiro de som. Wilson também dá aulas de bateria privadas a músicos iniciantes, intermédios e avançados.

Mas, tocar ao vivo é uma das maiores alegrias para Wilson e é óbvio para quem o observar em palco que ele adora o que faz, Wilson é conhecido pelo ataque poderoso atrás da bateria e pela sua boa disposição fora de palco.

Wilson é um músico jovem excepcionalmente talentoso e dedicado a tocar com o melhor material, demonstrando grande musicalidade e profissionalismo.

“Estou extremamente feliz e para além de satisfeito por fazer parte da família Zildjian.”

Urbano Oliveira

ENDORSER DESDE

  • 2010

MARCAS

BANDA(S)

  • Independente

EDUCAÇÃO

  • Responsável pelo projecto "Recreational Musik Making"

BIOGRAFIA

Nascido em Lisboa, Urbano Oliveira iniciou a sua carreira aos 17 anos, como baterista no grupo de música rock "OS GATOS NEGROS".

No princípio dos anos 70 esteve em Angola onde tocou bateria e percussão com grupos de música africana, onde se destacou com o grupo "A NAVE ".

Frequentou a escola do Hot Clube de Portugal, do qual é membro desde 1967, tendo tocado e gravado, em 1978, com a primeira Big Band formada no Clube.

Na Drummers Collective, em New York, teve lições privadas sobre "concepções da bateria contemporânea", com Michael Lauren, Frank Katz, Chris Lacinac, Peter Retzlaff, entre outros.

Esteve também em Cuba/Havana, "CENTRO DE INVESTIGACON Y DESARROLLO DE LA MÚSICA CUBANA" (Afro-Cubano), Escócia/Glasgow, (Pipe & Drums), EUA/Boston (Fife & Drums) onde adquiriu conhecimentos sobre estilos e métodos de ensino.

Participou em Master Class ou Workshops com: Rod Morgenstein, Alex Acuña, Gordy Knudtson, Marco Minnemann, Bill Stewart, Mike Portnoy, Chester Thompson, Jim Chapin, Michael Lauren, Horacio Hernandez (El Negro), Giovanni Fidalgo, Dom Famularo, entre outros.

Pela sua larga experiência e excepcional versatilidade participou em diversos festivais e concertos e gravou com grupos e cantores nos mais variados estilos e ritmos: Rock, Jazz, Funk, Afro, Brasileiro, Reggae, Pop, com Rui Veloso, Fernando Tordo, Herman José, Maestro Segundo Galarza, Maestro José Calvário, Maestro Jorge Machado entre muitos outros.

Esteve também em Cuba/Havana, "CENTRO DE INVESTIGACON Y DESARROLLO DE LA MÚSICA CUBANA" (Afro-Cubano), Escócia/Glasgow, (Pipe & Drums), EUA/Boston (Fife & Drums) onde adquiriu conhecimentos sobre estilos e métodos de ensino.

Participou em Master Class ou Workshops com: Rod Morgenstein, Alex Acuña, Gordy Knudtson, Marco Minnemann, Bill Stewart, Mike Portnoy, Chester Thompson, Jim Chapin, Michael Lauren, Horacio Hernandez (El Negro), Giovanni Fidalgo, Dom Famularo, entre outros.

Tem quatro publicações didácticas, dois livros com títulos
"INICIAÇÃO AO ESTUDO DA BATERIA,
"RUDIMENTOS E SOLOS PRELIMINARES PARA TAROLA/CAIXA/SNARE DRUM",
o CD "APRENDE A TOCAR ROCK BÁSICO",
o vídeo "PERCUSSÃO PARA TODOS" E O CD "PEOPLE N´DRUMS".

Actualmente lidera o seu próprio grupo e toca com o grupo CORUBAL BAND da Guiné-Bissau.

Desde 1996, realiza também, por todo o País, Workshops, Acções de Formação e Seminários sobre o estudo da bateria e dos tambores.Também se desloca a várias localidades para lições privadas.

É membro do PAS-Pecussive Arts Society e da Associação Portuguesa de Musicoterapia.

Responsável e precursor do projecto Recreational Musik Making em Portugal desenvolve um trabalho para todas as idades no âmbito da educação, "ocupação de tempos livres", com grupos sociais e empresarias, e na esfera da musicoterapia. Directamente apoiado por vários músicos americanos. Participou na "Rhythical Alchemy Playshop" de Arthur Hull, - Village Music Circles, - no Facilitation Skill e no "Group Empowerment Drummig" com Dr Barry Bittman, MD e Christine Stevens, MA, MSW, MT-BC.

Thierry Guerreiro